A Federação Paulista de Bocha e Bolão foi fundada em 04 de abril de 1941, tendo como clubes fundadores a Sociedade Esportiva Palmeiras, Clube de Regatas Tietê, Clube Esportivo da Penha, Clube Espéria e Sport Club Corinthians Paulista. A Entidade é filiada à Confederação Brasileira de Bocha e Bolão e tem como finalidade dirigir os desportos da Bocha Mundial (Ponto-Rafa-Tiro), Bocha Rafa e Bolão no Estado de São Paulo, na forma da lei federal, promovendo a sua difusão e o seu aperfeiçoamento, organizar e realizar competições destas modalidades.

 

PRESIDENTES

1941 a 1952: Paschoal Spina

1952 a 1981: Armando Gonçalves Freire

1981 a 1987: Geiser Prado Noronha

1987 a 1990: Raymundo Carlos Feitosa Barreto

1990 a 2014: Geiser Prado Noronha (mandato até Jan/2014)

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA FILIAÇÃO


1. Cópia autenticada da ata de fundação;
2. Duas cópias autenticadas do estatuto, adaptado ao Novo Código Civil e registrado em cartório;
3. Cópia autenticada da ata da Assembléia Geral que elegeu a atual Diretoria,
registrada em cartório;
4. Relação nominal da Diretoria, com nome, cargo, nacionalidade, documento de identidade, estado civil, endereço e telefone;
5. Cópia autenticada do CNPJ;
6. Ofício solicitando filiação, comprometendo-se a respeitar o Estatuto da Entidade, normas emanadas pelos Órgãos Superiores e Leis Esportivas do País;
7. Ofício, informando as cores adotadas pela agremiação e, se possível, anexar desenhos do distintivo e pavilhão;
8. Ofício credenciando, no mínimo, dois representantes da agremiação junto à Federação, com endereços e telefones;
9. Após a aprovação da documentação pela Diretoria da FPBB, a filiação será concedida mediante o pagamento das taxas abaixo: Jóia de Filiação, Anuidade (para agremiações filiadas e não atuantes) ou 1ª mensalidade: (para agremiações filiadas e atuantes).
Consultar a Secretaria da Entidade para obter os valores atualizados.

As mensalidades subseqüentes deverão ser pagas até o dia 10 de cada mês.
Os documentos relacionados nos itens 1, 2, 3 e 4, deverão estar registrados
em cartório.

Para a filiação de ligas, além da documentação acima deverão apresentar também a relação dos clubes filiados,
com endereços e telefones

Todos os documentos deverão estar assinados pelo Presidente
da Agremiação ou liga.

A Federação Paulista de Bocha e Bolão foi fundada em 04 de abril de 1941, tendo como clubes fundadores a Sociedade Esportiva Palmeiras, Clube de Regatas Tietê, Clube Esportivo da Penha, Clube Espéria e Sport Club Corinthians Paulista.
A Entidade, filiada à Confederação Brasileira de Bocha e Bolão, tem como finalidade dirigir os desportos da Bocha Mundial (Ponto-Rafa-Tiro), Bocha Rafa e Bolão no Estado de São Paulo, na forma da lei federal, promovendo a sua difusão e o seu aperfeiçoamento, organizar e realizar competições destas modalidades.


PRESIDENTES
1941 a 1952: Paschoal Spina
1952 a 1981: Armando Gonçalves Freire
1981 a 1987: Geiser Prado Noronha
1987 a 1990: Raymundo Carlos Feitosa Barreto
1990 a 2014: Geiser Prado Noronha (mandato até Jan/2014)

NOTÍCIAS HISTÓRICAS DO DESPORTO DA BOCHA
Parece que, desde sempre, os homens se recreavam fazendo correr sobre o solo objetos de forma esférica, primeiramente de pedra, depois de madeira ou de metal. Esta primitiva recreação foi se aperfeiçoando pouco a pouco, estabelecendo-se distâncias e regras.
Comparando com outros jogos ou exercícios atléticos, também o desporto da bocha tem origem muito distante, sem poder estabelecer-se exatamente a data de suas origens. Os historiadores falam de um jogo praticado no Egito e na Grécia antiga, por meio de objetos de forma esférica, em particular, pedras redondas.
Este jogo difundiu-se com o passar dos anos; os latinos o propagaram profundamente durante a idade média, sendo o mesmo tão popular em ser praticado nas praças públicas e nas ruas, a tal ponto que Carlos IV em 1319 e também Carlos V e mais tarde o Patriarca de Venezia, em 1576, foram obrigados a proibir a sua prática.
Em compensação, este jogo foi fomentado na Corte de Isabel da Inglaterra e teve entre seus afeiçoados o famoso almirante corsário Francis Drake. Muito mais tarde este último foi imitado na Itália por Garibaldi. O jogo, fundamentalmente popular, propagou-se com facilidade em muitos países, por intermédio dos povos francês e italiano; o mesmo encontra-se, talvez com regras diferentes, na África (Argélia, Marrocos, Tunísia, Senegal, etc) e, naturalmente, na Europa, onde os países interessados constituíram a “Federation Internationale de Boules” (F.I.B.) que disciplinou e esporte da bocha com regras técnicas e normas administrativas bem definidas.
O jogo, que era praticado ao ar livre, prosperou regularmente em muitos países, favorecido por uma forte e popular tradição e de uma maneira de vida favorável à sua difusão, por condições ambientais e urbanas que não criaram até agora, problemas relacionados com as instalações e material esportivo necessários à prática desta atividade.

INTRODUÇÃO DO ESPORTE NA AMÉRICA DO SUL
A bocha, um esporte de grande prestigio internacional, em especial na Europa, chegou a América do Sul através dos imigrantes italianos, introduzido primeiro na Argentina e, posteriormente em outros países do continente. Foi oficializada como esporte na década de 30 e em 1944 foi fundada a Confederação Sul americana de Bochas.

A BOCHA NO BRASIL
No Brasil foi reconhecida como esporte em 1943, pela Confederação Brasileira de Desporto, porém a sua filiação junto a Confederação Sul americana ocorreu apenas em 1950 e, neste mesmo ano o Brasil participou do IV Campeonato Sul americano Masculino, disputado pela Regra Sul americana, desconhecida dos atletas Brasileiros e adotada, a partir de então, como Regra Oficial em substituição à Regra do “ponto” e “bota”.
À partir da década de 60 a bocha firmou-se no País, com a evolução técnica de nossos atletas e a conquista de novos adeptos, inclusive com o início da participação feminina em 1966, com a criação do Departamento Feminino pela Federação Paulista, dirigido pela Sra. Regina Delosso Sposito e realização, neste mesmo ano do I Torneio Misto de Bocha.
Posteriormente vieram os jovens, cuja participação cada vez mais significativa incentivou a Confederação Brasileira de Desportos Terrestres, entidade nacional dirigente do esporte na época, à criação do Campeonato Brasileiro Juvenil, realizado pela primeira vez em São Paulo, no ano de 1986 e já no ano seguinte a Confederação Sul americana promoveu, no Uruguai o I Campeonato Sul americano da categoria.
Apesar do velho conceito de que a bocha é “esporte para idosos”, a modalidade é praticada por pessoas de todas as idades e classes sociais, homens, mulheres, jovens e crianças, atraindo a participação de atletas de faixa etária cada vez menores.

R E G R A S
Atualmente existem oficialmente, em todo o mundo, quatro modalidades de Bocha: Zerbin que é adotada pela Federation Internationale de Boules, o Punto-Rafa-Vollo, no Brasil denominada “modalidade mundial”, adotada pela Confederazion Boccistica Internazionale, Sul americana: adotada pela Confederação Sul americana de Bochas e a Bocha Rafa, praticada apenas no Brasil.
Até o ano de 1950, a regra praticada no Brasil era o “ponto” e “bota”, a partir daquele ano foi adotada a Regra Sul americana para todas as competições oficiais, porém, como recreação, muitos adeptos do esporte disputavam jogos baseados em uma regra denominada “Pontobol”. Devido ao grande número de praticantes dessa modalidade, a mesma foi reconhecida como esporte pela Confederação Brasileira de Desportos, em 1978, sendo mais tarde denominada como “Bocha Rafa”. A modalidade de Bocha Rafa, que é praticada em competições oficiais apenas nos estados de Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo, hoje também faz parte dos Jogos Regionais e Jogos Abertos do Interior, promovidos pela Secretaria de Esportes e Turismo do Estado de São Paulo.
No ano de 2009, diante da necessidade de unificação das regras visando o reconhecimento da Bocha como esporte olímpico, a Confederação Brasileira de Bocha e Bolão adotou a Regra da Modalidade Mundial (Punto-Rafa-Vollo) em substituição à Regra Sul americana.

Diretoria e Departamentos

Diretoria Executiva

 

 

Presidente ........................................ Luis Carlos Leite
Vice Presidente de Bocha Mundial ....... Leandro Labonia
Vice Presidente de Bocha Rafa ........... José Manoel de Oliveira

Vice Presidente de Bolão.................... Edgar Mauricio da Fonseca
Secretário Geral ............................... Piero Sarti e Silva

Secretário......................................... Vagner dos Reis

1º. Tesoureiro .................................. Paulo Sergio dos Santos Espinosa Junior

2º. Tesoureiro .................................. Luiz Antonio Ferreira
Diretor Jurídico ................................. Leandro Labonia

 

Conselho Fiscal


Titulares
Adelino Gonçalves, Luiz Roberto Taconelli e Marcelo Ricciarelli
Suplentes
André Luiz Andrade Luz, Osvaldo Ribeiro Junior e Generaldo Soares de Souza

 

 

Diretor de Arbitragem

 

João Luis Pereira da Silva

 

Diretoria Técnica - Bocha Mundial

 

Diretor Geral - Alexandre Matarazzo

Auxiliar Técnico - Estalim Matulovic Smocil

 

Diretoria Técnica - Bocha Rafa

 

Diretor Geral - Cicero Paulino dos Santos

Auxiliar Técnico - indefinido

 

Diretoria Técnica - Bolão

 

indefinido

 

Diretoria de Eventos

 

indefinido

 

Diretoria de Propagana e Marketing 

 

Diretor - Alvanir Barbato

 

Diretoria Social 

 

Diretor - Flaviano Barbosa Leite

 

 

 

 

 

FORMULÁRIOS DE RENOVAÇÃO DE ATLETAS